Notícias



Com dívida bilionária, Forever 21 pede recuperação judicial nos Estados Unidos


A rede de lojas de vestuário jovem Forever 21 informou na noite deste domingo que pediu recuperação judicial nos Estados Unidos. Com isso, a varejista pede uma trégua para pagar credores, de modo a poder reestruturar seu negócio e, assim, evitar a falência.

Fundada em 1984, a empresa tem mais de 800 lojas nos EUA, Europa, Ásia e América Latina, inclusive no Brasil. Segundo o jornal americano Wall Street Journal, 350 delas serão fechadas, sendo 178 nos Estados Unidos.

De acordo com a Bloomberg, o plano prevê o fechamento da maioria dos pontos de venda na Ásia e na Europa. Na América Latina, a intenção é manter a operação, mas não está claro se a rede vai fechar alguma de suas lojas no Brasil, onde iniciou as atividades em 2014.

A empresa já vinha enfrentando uma grave crise financeira e se tornou alvo de rumores nos últimos meses de que estava à beira de uma recuperação judicial . Seu cofundador, Do Won Chang, vem tentando manter o controle acionário do grupo, o que vinha limitando suas opções para levantar fundos para evitar a a quebra.

A rede não conseguiu fechar um acordo que daria a seus dois maiores locadores em shoppings, o Simon Property Group e a Brookfield Property Partners LP, uma participação na empresa, de acordo com pessoas com conhecimento da situação.

Dívida de até US$ 10 bi

Documentos enviados pela empresa ao tribunal de falências do distrito de Delaware, nos EUA, mostra que a Forever 21 estimou dívidas entre US$ 1 bilhão e US$ 10 bilhões. A empresa acionou o Capítulo 11 da lei americana de falências, que equivale à recuperação judicial no Brasil.

Com isso, a empresa, que é sediada em Los Angeles, continuará a operar enquanto trabalha em um plano para pagar seus credores e fazer uma reestruturação dos seus negócios.

Agora, a empresa obteve US$ 275 milhões em financiamento de credores como JPMorgan e Chase & Co., além de US$ 75 millhões em capital novo de fundos liderados pelo TPG Sixth Street Partners.

“O financiamento de JPMorgan e TPG Sixth Street Partners vai suprir a Forever 21 com o capital necessário para empreender mudanças críticas nos Estados Unidos e no exterior para revitalizar nossa marca e impulsionar nosso crescimento, permitindo que possamos honrar nossas obrigações com clientes, fornecedores e empregados”, afirmou Linda Chang, vice-presidente executiva da Forever 21 em um comunicado.

A empresa já vinha freando sua expansão no Brasil, segundo informou o colunista do Globo Lauro Jardim.


Fonte: O globo, 30.09.2019

Compartilhe essa notícia:

Notícia Anterior

CNJ apresentará relatório sobre modernização de recuperações e falências

Próxima Notícia

Banco do Brasil pede anulação de plano de recuperação judicial da Odebrecht