Notícias



Procópio inicia processo de Recuperação Judicial com dívida que passa de R$ 46 milhões


Com mais de 50 anos no segmento de produtos para embalagens, coberturas e tecidos técnicos processados a partir de resinas poliofínicas, tradicional na cidade, tendo empregado já milhares de campo-larguenses, a Procópio sofre com a crise e deu início, no dia 07 de agosto, a um processo de Recuperação Judicial. A dívida da empresa hoje passa de R$ 46 milhões, com bancos, fundos, fornecedores e outros.

Atualmente conta com 926 colaboradores, sendo de contratação direta e terceirizada, e para adequar-se à atual situação precisou demitir cerca de 30 funcionários – de Administrativo, Produção, Manutenção, Análise, Assistência - e procura renegociar suas dívidas com fornecedores. De acordo com informações do escritório Vacção Carvalho Duck Advocacia, que é especialista em Recuperação Judicial e está à frente da situação, não há previsão de demissão em massa, querem continuar a operação para manter a empresa produzindo e com plano de retomada.

 Alguns funcionários demitidos entraram em contato com a Folha, pois temem não receber a rescisão, já que está em processo judicial. Contam que na empresa falaram em pagamento, mas parcelado até o ano que vem. De acordo com o advogado André Duck, todas as rescisões serão pagas dentro do Plano de Recuperação que está sendo reestruturado e com prazo de conclusão de 60 dias. Ele afirma que os funcionários que continuam trabalhando estão recebendo seus salários em dia.

No processo, a empresa afirma que está em “total estado de crise sendo recomendado o imediato uso de todas as medidas legais de proteção de patrimônio que permita a manutenção de seu curso operacional”. Para isso, se compromete a realizar “medidas de reestruturação de gastos, a prospecção de estratégias comerciais para continuar gerando receita, aprimoramento do setor de compras, diminuição de perdas e desperdício, correta alocação de força de trabalho, tudo visando preservar suas operações, zelando pela sua credibilidade no mercado, fortemente estabelecida. Com isso, a Procópio Indústria encontra-se em fase de elaboração de um novo plano de negócios, através do qual buscará equacionar suas dívidas e a manutenção da atividade empresarial. Necessita apenas de uma oportunidade para negociar com os credores para poder implementar um replanejamento financeiro.”

Em 2016 estavam com um Capital Circulante positivo de mais de R$ 10 milhões e atualmente estão com mais de R$ 8 milhões negativos. Sendo que esse Capital mostra o grau de dependência de capital de terceiros que a companhia opera. Explicam que em 2018 procuraram otimizar ao máximo as despesas operacionais para se reestruturarem, mas que foram efetuadas rescisões que chegou a um custo total de R$ 1.616.504,87 e mesmo liquidadas os colaboradores ingressaram com Reclamatórias Trabalhistas, onerando ainda mais a empresa.

“Dentro deste cenário de dificuldade de negociação do preço da matéria prima e aumento da concorrência, ao longo de anos, a empresa viu-se obrigada a valer-se de captação de recursos financeiros para manter suas atividades empresariais, captando, geralmente, capital perante as instituições financeiras que, como sabido, não medem esforços para, valendo-se do momento de crise enfrentado pelo cliente, impõe exorbitante taxa de juros, o que implica numa verdadeira “roda de endividamento”. Trata-se de uma crise de diversos setores, que impacta diretamente nas finanças das empresas atuantes, que sempre trabalharam com margens reduzidas sobre os produtos comercializados. Some-se a isto a inconsistência da economia nacional, que aliada à grande flutuação cambial, implica no descompasso do preço da matéria prima e, consequentemente, no resultado da venda”, explicam.

A empresa

Os produtos produzidos na Procópio são originados em sua base do manuseio do prolipropileno e polietileno, os quais no final da linha de produção geram produtos com resistência e maleabilidade para transportar volumes médios que podem ser usados para armazenar qualquer tipo de pó, granulado ou até mesmo líquidos; filme plástico utilizado em sua maioria no plantio de hortifrúti, tecido para colheita de café, lonas plásticas, cortinas para aviários e suinocultura, base de carpet, tecidos ventilados para envase de batatas e frutas, sacarias para envases das mais diversas aplicações. Até 2012 conseguiram boa negociação da matéria-prima pela quantidade de concorrentes no mercado, mas houve a integração de empresas originando apenas uma e que tornaram difícil o mercado, como também o preço do petróleo influencia.

A sede da Procópio na PR-510 foi fundada em 1989 e neste período investiu intensivamente em máquinas, equipamentos e em pessoas para se tornar uma das maiores empresas do país do segmento, que hoje opera 24 horas por dia. Hoje ocupa uma área de 34 mil m2 e tem uma capacidade instalada para transformar 1.500 toneladas/mês de resina de polipropileno e polietileno. A empresa foi pioneira na verticalização de Big Bags travados, especiais e standard, e atualmente está preparada para produzir 400 mil Big Bags mensais, sendo que seus produtos alcançam todo território nacional, América Latina, América do Norte e Europa. Ao redor de sua estrutura foi se consolidando uma microrregião populosa, com atividades comerciais e residências, sendo de importância representativa para a cidade.

 


Fonte: folha de campo largo, 04.09.2019

Compartilhe essa notícia:

Notícia Anterior

TJ-SP valida proposta "criativa" de venda de bens de empresa falida há noves anos

Próxima Notícia

Novo projeto de recuperação judicial prevê negociação de dívidas com a Fazenda Nacional